Esta noite foi a noite: Erling Haaland enfrentou seu passado, o Borussia Dortmund, o time em que se tornou um fenômeno de massa. E o Dortmund fez um excelente jogo no Etihad, mas seu ‘filho’, que não é mais, deu a vitória ao Manchester City com um gol acrobático (2-1).

O Borussia Dortmund, que vinha de sofrer 3-0 frente ao Leipzig (o rival desta quarta-feira do Real Madrid, que o venceu por 2-0), concentrou-se sobretudo no primeiro tempo em parar o City, fechar as linhas de passe, cobrir lacunas, para controlar Haaland, outro mito que deixou Signal Iduna Park.

E, de fato, o primeiro tempo terminou sem gols e quase sem chances. O Dortmund conseguiu seu objetivo, manter a equipe de Pep Guardiola afastada.

Foi um crédito para a equipe de Edin Terzic, mas também para o fato de que os ‘cidadãos’ faltou muito mais no aspecto ofensivo para colocar a partida nos trilhos.

O líder da Premier não atirou entre os três bastões na primeira parte. O Dortmund fez isso apenas uma vez: Ozcan com a perna direita, em boa jogada, mas Ederson conseguiu pegar a bola.

E após o intervalo, o Dortmund também cresceu no ataque: em um grande contra-ataque, com excelente movimentação de Marco Reus, o chute do capitão saiu ao lado.

E aos 56 minutos, o Dortmund assumiu a liderança: Jude Bellingham marcou, graças à sua capacidade de colocar a cabeça para aproveitar uma bola vinda de Marco Reus.

Guardiola fez uma tripla troca: Julián Álvarez, Bernardo Silva e Phil Foden entraram. Mahrez, Gündogan e Grealish se retiraram.

E o primeiro aviso: De Bruyne mandou uma boa bola para Haaland, mas o norueguês rematou ao lado. Não foi apenas a primeira vez do ex-atacante do Dortmund, mas também do City.

Providencial, Hummels frustrou outra jogada do City ao impedir que a bola chegasse a Haaland, que estava sendo ‘secado’ por seu ex-time.

Mas o City fez 1 a 1 graças a um chute forte de John Stones de fora da área. Praticamente o primeiro tiro dos homens de Guardiola entre os três bastões.

E sim, tinha que ser: Haaland, que mal havia aparecido neste jogo, aproveitou um bom passe de Cancelo para conectar um chute acrobático e marcar um gol que afundou o Dortmund e deu a vitória ao City.